CUIDA – Questionário para a Avaliação de Adotantes, Cuidadores, Tutores e Mediadores

121,01 233,00 

O CUIDA é constituído por 189 itens que avaliam 14 variáveis da personalidade, três fatores de segunda ordem e uma escala adicional (Irritabilidade). Trata-se de um instrumento que fornece informação sobre a capacidade do indivíduo avaliado para proporcionar a atenção e o cuidado adequado a uma pessoa em situação de dependência (filho biológico, adotado, sob custódia ou acolhimento; crianças e jovens a cargo de uma casa de acolhimento; idosos, doentes, incapacitados…). Inclui também três índices de controlo: validade, inconsistência das respostas e desejabilidade social.

Limpar

FICHA TÉCNICA

  • Versão: Portuguesa
  • Autores: Fernando A. BermejoIsabel EstevezMaría Isabel GarcíaEstrella García-RubioMontserrat LapastoraPaloma LetamendíaJacoba CruzÁngel PoloManuel J. SueiroFátima Velázquez (versão portuguesa: Margarida R. Henriques, Alexandra Silva, Carla Ferreira, Carla Martins,)
  • População: Adultos
  • Idades: + 20 Anos
  • Aplicação: Individual ou Grupo
  • Duração: 45 min. aprox.

DESCRIÇÃO

O CUIDA é constituído por 189 itens que avaliam 14 variáveis da personalidade, três fatores de segunda ordem e uma escala adicional (Irritabilidade). Trata-se de um instrumento que fornece informação sobre a capacidade do indivíduo avaliado para proporcionar a atenção e o cuidado adequado a uma pessoa em situação de dependência (filho biológico, adotado, sob custódia ou acolhimento; crianças e jovens a cargo de uma casa de acolhimento; idosos, doentes, incapacitados…). Inclui também três índices de controlo: validade, inconsistência das respostas e desejabilidade social.

As 14 variáveis da personalidade, identificadas como escalas primárias, avaliam:

  • Altruísmo – a disposição da pessoa para atuar em favor dos seus semelhantes de forma desinteressada.
  • Abertura – a atitude das pessoas perante experiências novas ou estranhas, o seu gosto pela diversidade e a sua curiosidade intelectual.
  • Assertividade – a capacidade de expressar de forma adequada emoções tanto positivas como negativas, fazer e receber críticas, dar e receber elogios, aceitar e rejeitar pedidos e mostrar desacordo.
  • Autoestima – os sentimentos ou cognições favoráveis ou desfavoráveis que as pessoas têm relativamente a si mesmas, como resultado da avaliação que fazem do seu próprio autoconceito.
  • Capacidade para resolver problemas – a capacidade para identificar um problema, estudar as diferentes alternativas, atuar de acordo com um plano, ser flexível e criativo e estar disposto a resolvê-lo.
  • Empatia – a capacidade de reconhecer e compreender os sentimentos e atitudes dos outros, assim como as circunstâncias que os afetam em determinado momento.
  • Equilíbro Emocional – a capacidade de controlar os estados de tensão associados às experiências emotivas e manter o controlo do próprio comportamento em situações de conflito.
  • Flexibilidade – a capacidade de perceber e aceitar os diferentes aspetos que cada situação pode apresentar e assumir e adaptar-se às circunstâncias próprias de cada situação ou momento concreto.
  • Independência – a capacidade de prescindir da ajuda ou da proteção de outras pessoas para realizar as atividades habituais.
  • Reflexibilidade – a tendência para falar e atuar de forma premeditada.
  • Sociabilidade – a orientação para as pessoas, a facilidade com que se estabelece relações com os outros, a preferência pela companhia dos outros, o gosto pelas atividades sociais, a competência social e a tendência para procurar estímulos sociais.
  • Tolerância à Frustração – a capacidade de aceitar ou assimilar uma situação em que uma expectativa, um desejo, um projeto ou uma ilusão não se cumprem.
  • Capacidade para estabelecer vínculos afetivos – a capacidade humana universal de formar vínculos afetivos.
  • Capacidade de resolução de luto – refere-se ao processo natural que se produz nas pessoas que sofrem e enfrentam uma perda.

Relativamente aos fatores de segunda ordem, estes foram calculados com base na análise fatorial realizada com as escalas primárias. Assim, a forma como as diferentes escalas primárias se relacionam, deu origem aos seguintes fatores:

  • Cuidado Responsável
  • Cuidado Afetivo
  • Sensibilidade para com os outros.

O CUIDA é um instrumento com uma vasta aplicabilidade, como por exemplo, adoção, regulação do poder paternal, seleção de cuidadores (enfermeiros, auxiliares de educação, auxiliares de ação médica…), etc. Encontra-se disponível para aplicação online (acesso ao perfil de resultados e ao relatório interpretativo do teste).

Adaptação, validação e estudo normativo para a população portuguesa realizadas por Margarida Rangel Henriques, Alexandra Silva, Carla Ferreira e Carla Martins.

NORMAS

Amostra portuguesa. N (amostra geral) = 514, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos. N (amostra de candidatos à adoção) = 155, com idades compreendidas entre os 28 e os 56 anos.

A tipificação portuguesa utiliza a escala penta e a escala de eneatipos. Tabelas de normas disponíveis:

  • amostra geral;
  • candidatos à adopção.

Fidelidade

O teste CUIDA apresenta uma consistência interna que semelhante à encontrada no estudo original, com valores entre .56 e .86 (N=669).

CORREÇÃO

CORREÇÃO ONLINE. A correção desta prova é feita na plataforma TP Online by Hogrefe.

MATERIAL

O CUIDA Kit Completo inclui:

  • Manual Técnico (1)
  • Folhas de Respostas (pacote de 25 ou de 100);
  • Acesso ao sistema de correção online.
0

Your Cart